Conhecimento e Prática em Saúde Bucal de Cuidadores de Idosos Institucionalizados

Nome: Patrícia da Costa Gomes
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 28/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabeth Pimentel Rosetti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alfredo Carlos Rodrigues Feitosa Examinador Interno
Elizabeth Pimentel Rosetti Orientador
Roberta Grasselli Batitucci Pinel Examinador Externo

Resumo: Muitos idosos necessitam de auxílio dos cuidadores, que exercem um papel fundamental na manutenção da adequada saúde bucal. Assim, o objetivo deste trabalho é analisar o conhecimento e a prática em saúde bucal de cuidadores de idosos institucionalizados, na cidade de Vitória, Espírito Santo, Brasil. Os materiais e métodos consistiram em um estudo transversal realizado com todos os 27 cuidadores de idosos de uma instituição de longa permanência, por meio de um formulário de entrevista. Analisaram-se as características
pessoais, a formação dos cuidadores e as características sobre conhecimento, prática e prevenção relacionadas à saúde bucal. Para a análise dos dados, foi realizada estatística descritiva, por meio de frequência absoluta e relativa. Os resultados apontaram que o gênero feminino foi predominante (63%); a maioria dos cuidadores apresentava elevado grau de escolaridade; e 81,5% receberam formação para trabalhar com idosos. Em relação ao
conhecimento, embora a grande maioria conheça a necessidade de escovar os dentes pelomenos três vezes ao dia para prevenir a cárie dentária e a doença periodontal (88,9%), 44,5% disseram que a higiene bucal dos idosos não autônomos é realizada uma vez ao dia. Quanto à higienização das próteses, apenas um cuidador relatou utilizar agente químico e 40,7%
disseram não existir um protocolo de higiene oral na instituição. Cerca de 70% declararam não saber as doenças orais que podem afetar um portador de prótese; 85% dos cuidadores acreditam existir relação entre debilidade na saúde geral e o aparecimento de alterações orais; e 59,3% responderam que o tipo de alimentação pode influenciar a saúde oral do idoso. Pôdese
concluir que os cuidadores conhecem a importância da saúde bucal para pacientes idosos institucionalizados, mas a prática não é proporcional. Apresentam elevado nível de escolaridade e a maioria recebeu formação para cuidar de idosos. Eles têm conhecimento sobre prevenção da cárie e das doenças periodontais, entretanto, não conhecem as lesões bucais que podem acometer os idosos

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900