Avaliação de Efeito Terapêutico do Laser de Baixa Potência de AsGaAl no Pós-operatório de Cirurgias de Terceiros Molares Inferiores

Nome: Flávia Lamanna Martins Oliveira
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 27/10/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Rossiene Motta Bertollo Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabeth Pimentel Rosetti Examinador Interno
Martha Alayde Alcantara Salim Venâncio Examinador Externo
Rossiene Motta Bertollo Orientador

Resumo: O objetivo desta pesquisa é avaliar a eficácia do Laser de Baixa Potência (LBP) de Arsenieto de Gálio e Alumínio (AsGaAl) na redução da dor e no restabelecimento da abertura de boca quando utilizado no pós-operatório de pacientes submetidos à remoção cirúrgica de terceiros molares inferiores. A amostra foi constituída por 22 pacientes entre 18 e 35 anos que fizeram parte tanto do grupo laser (G1) como do grupo controle (G2). Os indivíduos foram submetidos à cirurgia de exodontia dos elementos 38 e 48 em dias distintos e a aplicação do LBP e do placebo seguiu-se de acordo com o protocolo pré-estabelecido de aplicação imediata, 24 e 48 h após o procedimento cirúrgico no G1 e no G2, respectivamente. Os pacientes receberam, enquanto grupo laser, 4 J / cm² de densidade de energia do LBP de AsGaAl, comprimento de onda 808 nm, por períodos de 30 e 40 s intra e extraoral, respectivamente. A dor pós-operatória foi mensurada por meio de uma escala visual analógica (EVA) preenchida ao término da cirurgia (ao final do efeito da anestesia), 24 e 48 h após a cirurgia. A abertura bucal foi medida com paquímetro digital itutoyo®), previamente à cirurgia e 24 e 48 h após o procedimento cirúrgico. Para a análise estatística, utilizaram-se os testes não paramétricos de Friedman e de
Wilcoxon na percepção da dor e os testes paramétricos ANOVA e t de Student na avaliação da abertura de boca. Os resultados obtidos identificaram diferença
estatística significativa na percepção da dor, sendo esta menor em todos os
períodos de tempo no grupo laser em relação ao grupo placebo, enquanto não foi verificada diferença estatística associada ao restabelecimento da abertura de boca. Portanto, concluímos que com a metodologia utilizada o laser AsGaAl, no protocolo terapêutico proposto, foi eficaz na redução da dor.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900