Análise da prevalência de anomalias dentárias de número em pacientes não sindrômicos

Resumo: O desenvolvimento dentário resulta de uma interação complexa de elementos expressos no epitélio e ectomesênquima oral. Distúrbios nesse processo podem interferir na dinâmica da morfogênese dentária, resultando, por exemplo, no surgimento de anomalias de número, tais como as agenesias dentárias e as hiperdontias. A agenesia é caracterizada pela diminuição no número de dentes nas arcadas, ou seja, número inferior a 32 dentes em indivíduos adultos e de 20 dentes em crianças. Já o aumento do número normal de dentes é chamado de hiperdontia, sendo os elementos excedentes denominados dentes supranumerários. O objetivo deste trabalho é avaliar a prevalência das anomalias dentárias de número em pacientes não sindrômicos, através da análise de radiografias panorâmicas de pacientes com idade entre 9 a 25 anos. Serão avaliadas 3000 radiografias, sendo analisados a faixa etária, sexo, etnia, localização e os elementos dentários envolvidos em maior freqüência. Serão excluídos da amostra indivíduos que sofreram perdas dentárias, além de portadores de síndromes relacionadas a alterações no número de dentes. As anomalias dentárias numéricas podem trazer inúmeros problemas ao indivíduo. Problemas oclusais, mastigatórios, estéticos e psicológicos tem sido relatados, de modo que o diagnóstico precoce torna-se uma ferramenta importante no planejamento e manejo do plano de tratamento.

Data de início: 2011-08-01
Prazo (meses): 12

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Colaborador Liliana Aparecida Pimenta de Barros
Colaborador Marcos da Silva Pacheco
Colaborador Leticia Nogueira da Gama de Souza
Colaborador WILLIAN GRASSI BAUTZ
Coordenador Karla Loureiro Almeida Coburn
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900