Análise de um cimento de ionômero de vidro modificado por resina: nova aplicação.

Resumo: Vários estudos demonstram a aplicabilidade do cimento de ionômero de vidro e do compósito resinoso como material para a colagem de bráquetes ortodônticos e comparam a adesão destes materiais à estrutura dentária In Vivo (CORDEIRO, BUSSADORI, CAMARGO, 1999) ou através de testes de resistência mecânica utilizando dentes extraídos humanos (ASHCRAFT, STALEY E JAKOBSEN, 1997; SOUZA, FRANCISCONI E ARAÚJO CORDEIRO, 1999; BUSSADORI, CAMARGO, 1999; SOBRINHO et al., 2002) ou dentes extraídos bovinos (CACCIAFESTA et al., 1998; FRANCISCONI et al., 2000; PITHON et al., 2007; RASTELLI, COELHO, JIMENEZ, 2010). Alguns estudos avaliaram também a liberação de flúor pelos materiais adesivos (SILVA, DUARTE, SAMPAIO, 2010; CHATZISTAVROU et al, 2010). A partir da evolução dos materiais de colagem em Ortodontia, surgiu a necessidade de obter um material que tivesse além de uma adesão satisfatória, a propriedade de liberação de flúor que
prevenisse o acúmulo de placa ao redor dos acessórios ortodônticos, e a cárie secundária, além de facilitar a remoção do material após a descolagem dos acessórios ortodônticos. Assim, a utilização do cimento de ionômero de vidro para a colagem em Ortodontia passou a ser indicada por apresentar propriedades físico-químicas satisfatórias, além de seu potencial anti-cariogênico. Diversos produtos ionoméricos estão disponíveis
no mercado nacional e, dentre suas aplicações clínicas, estão os procedimentos restauradores e de cimentação. Apesar disso, ainda não existem materiais com fabricação nacional com boa propriedade de adesão para serem utilizados em larga escala na colagem de braquetes ortodônticos. Sabe-se que a literatura relata apenas um cimento de ionômero de vidro desenvolvido especificamente para a colagem de braquetes - o CIVMR Fuji
Ortho LC (FO) - que apresenta excelentes propriedades de adesão e comprovado uso clínico (CACCIAFESTA, et al, 1998; FRANCISCONI, et al., 2000, CORRER SOBRINHO et al., 2001;PITHON et al, 2007). Entretanto este material importado é difícil de ser encontrado no comércio brasileiro,
além de ter custo elevado, o que dificulta a sua utilização em larga escala pelos profissionais. Com isso, este estudo objetiva avaliar as propriedades físicas, químicas e biológicas de um cimento de ionômero de vidro modificado por resina (CIV) de uso odontológico, fabricado pela indústria nacional e de custo razoável, no intuito de propor alterações nas recomendações do fabricante de forma a promover uma nova aplicabilidade para o mesmo: a colagem de acessórios ortodônticos.

Data de início: 2013-04-17
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Angelica Drago Marchesi Pimentel
Aluno Mestrado Karine Almeida Pimentel
Coordenador Maria Christina Thomé Pacheco
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900